SOBRE A UNIFIO

Apresentação

A Fundação Educacional “Miguel Mofarrej” – FEMM, mantenedora do Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos – Unifio, é uma sociedade de Direito Privado, sem fins lucrativos, destinada à expansão e ao aperfeiçoamento do ensino na região e no país. A FEMM – Unifio pensa o aluno como um ser integral, fonte de incomensurável de talento e conhecimento, capaz de superar limites e vencer desafios.

Instituída como Entidade, em Assembleia realizada no dia 29 de dezembro de 1970, por empresários e instituições da cidade de Ourinhos. Sua escritura pública de constituição foi passada no dia 11 de fevereiro de 1971 no 1º Tabelionato de Ourinhos, no livro 81, fls. 175v/180. Registrada no Cartório de Registro de Imóveis e anexos, comarca de Ourinhos, SP, no Livro A nº 02, de Registro de Pessoas Jurídicas, às folhas 87/88. Seus Estatutos Sociais tiveram redação dada pelas Assembleias Gerais Extraordinárias de 31/10/74, 10/03/75, 19/07/75 e ordinária de 17/04/76, foram devidamente aprovados pelo Ministério Público da Comarca de Ourinhos, publicados no D.O.E., de 08/05/76, página 45, com anotação número de ordem 212, fls. 87/88 no citado livro A nº 02.

A Instituição foi reconhecida de Utilidade Pública Municipal pela lei nº 1.207 de 08/03/71, de Utilidade Pública Estadual pelo Decreto nº 20.484 de 07/02/83, publicado no D.O.E. de 08/02/83 e de Utilidade Pública Federal pelo Decreto nº 91.904 de 12/11/85.

Recebeu em 09 de outubro de 1972, como doação, todo patrimônio da Associação Interestadual de Ensino e Cultura (ASSIEC) – Mantenedora da Faculdade de Administração de Empresas de Ourinhos, autorizada pelo Decreto nº 66.585/70. No dia 13 de março de 1970, pelo parecer do Conselho Federal de Educação 228/70 foi aprovado o funcionamento do curso de Administração, sendo o primeiro curso superior da cidade de Ourinhos.

Pelo Decreto nº 71.075 de 12/09/72, foi autorizado o funcionamento da Faculdade de Ciências e Letras de Ourinhos, com os cursos de Letras – Licenciatura de 1º grau – Habilitação em Português / Inglês; Geografia – Licenciatura Plena; Ciências Biológicas – Licenciatura Plena; Ciências – Licenciatura de 1º Grau; Desenho e Plástica – Licenciatura Plena, realizando seu primeiro vestibular em setembro de 1972.

Em atendimento à Legislação do Ensino, foi procedida a transformação nos cursos de Ciências Biológicas Plena e Ciências – Licenciatura de 1º grau, em curso de Ciências – Licenciatura de 1º grau e Plena com Habilitação em Biologia e do curso de Desenho e Plástica em curso de Educação Artística – Licenciatura de 1º grau, Habilitação Plena em Desenho e Artes Plásticas, cuja autorização se deu em 15/08/1977, através do Decreto nº 80.155/77, em forma de Reconhecimento.

A plenificação do curso de Letras – Licenciatura de 1º grau em Curso de Letras – Licenciatura Plena – Habilitação em Português/Inglês, ocorreu através da Portaria nº 439, de 29/07/87 e Reconhecido pela Portaria nº 201, de 20/04/1989.

Finalmente, pelo parecer nº 274/81, de 10/03/81, as duas Faculdades existentes foram estruturadas em um único estabelecimento: Faculdades Integradas de Ourinhos.

O curso de Ciências Contábeis foi autorizado pelo Decreto n.º 97.023 de 27/10/1988; reconhecido pela Portaria n.º 155/93, de 27/01/1993.

A Fundação Educacional “Miguel Mofarrej”, adquiriu no 14 de janeiro de 2000, uma gleba de terra com área de 27,04 alqueires, num total de 663.080 m2, no município de Ourinhos, no lugar denominado Água do Cateto, antiga Fazenda Santa Tereza. O Campus Universitário localiza-se na no entroncamento das Rodovias Raposo Tavares e Rodovia Transbrasiliana BR-153. Estrategicamente localizado, possibilita o acesso fácil e rápido do alunado de cerca de 70 cidades, que formam a zona de abrangência do Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos – Unifio, que serve aos estados de São Paulo e Paraná.

O curso de Sistemas de Informação (Bacharelado), autorizado pela Portaria n.º 2887, de 14/12/2001; reconhecido pela Portaria n.º 3945 de 14/11/2005.

A Faculdade Integradas de Ourinhos pleitearam por sete anos o funcionamento do curso de Direito (Bacharelado) e obteve a autorização de funcionamento pelo MEC no dia 16 de janeiro de 2002 através da Portaria n.º 086, também foi avaliado com parecer favorável para Reconhecimento, em 18 e 19/04/2005.

O primeiro dia de aula no novo Campus Universitário da Unifio, aconteceu no dia 18 de março de 2002 e reuniu mais de mil pessoas entre acadêmicos, professores, coordenadores, diretores, dirigentes da Fundação Educacional “Miguel Mofarrej” e autoridades. O evento foi marcado por uma cerimônia de Ação de Graças.

No dia 19 de novembro de 2002, as Faculdades Integradas de Ourinhos inauguram o Campus Universitário “Helena Sayec Mofarrej e Nassib Mofarrej”. A cerimônia histórica marcou a realização de uma grande conquista para a cidade de Ourinhos e região e, também, foi marco decisivo para a evolução e crescimento da Unifio. Com o Campus Universitário foi possível ampliar a estrutura dos cursos oferecidos pela Instituição de Ensino e solicitar a autorização de novos cursos junto ao Ministério da Educação e Cultura (MEC).

A partir desta data vários cursos de graduação foram autorizados e reconhecidos pelo MEC, conforme listagem abaixo:

2004 – Enfermagem

Autorizado pela Portaria n.º 3984, de 06/12/2004, com alteração pela Portaria n.º 3826, de 08/11/2005.

2004 – Ciências Biológicas (Licenciatura)

Autorizado pela Portaria n.º 3985, de 06/12/2004.

2005 – Medicina Veterinária

Autorizado pela Portaria n.º 639, de 01/03/2005.

2005 – Arquitetura e Urbanismo

Autorizado pela Portaria n.º 640, de 01/03/2005.

2005 – Agronomia

Autorizado pela Portaria n.º 3916, de 14/11/2005.

2006 – Psicologia

Autorizado pela Portaria n.º 788, de 24/03/2006.

2007 – Pedagogia

Autorizado pela Portaria n.º 522, de 11/06/2007.

2007 – Farmácia

Autorizado pela Portaria n.º 836, de 24/09/2007.

2013 – Engenharia Elétrica

Autorizado pela Portaria n.º 360, de 11/06/2013.

2014 – Engenharia Civil

Autorizado pela Portaria n.º 690, de 13/11/2014.

2015 – Engenharia Mecânica

Autorizado pela Portaria n.º 266, de 30/03/2015.

2015 – Ciências Biológicas (Bacharelado)

Autorizado pela Portaria n.º 539, de 22/07/2015.

2015 – Engenharia de Produção

Autorizado pela Portaria n.º 816, de 30/10/2015.

2016 – Odontologia

Autorizado pela Portaria n.º 213, de 24/06/2016.

Atualmente o Campus Universitário possui: 5 Anfiteatros, 7 Centrais de Aulas, 45 Laboratórios temáticos modernamente equipados, 148 Salas de Aulas, 27.452 m2 de área construída, 81.091 volumes – acervo da Biblioteca, 399.784 m2 – área total da Fazenda Experimental em uma área total de 663.080 m2.

O Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos – Unifio vem mantendo desde 2012 a nota 4 (escala de 1 a 5) que se refere ao Índice Geral de Cursos (IGC), conceito conquistado por praticamente 100% dos cursos oferecidos pela Instituição, o que garante á Unifio uma posição de destaque entre as melhores Instituições de Ensino do país, fato que pode ser comprovado através dos resultados publicados nos veículos de comunicação oficiais e também na mídia nacional, como a Revista Exame, Jornal Folha de São Paulo e o Guia do Estudante.

Segundo o último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes ENADE 2016, realizado pelo MEC, os estudantes da Unifio alcançaram notas expressivas. Vale destacar as notas obtidas pelos cursos de Agronomia com nota 5 no CPC (Conceito Preliminar de Curso) e em 1º Lugar no Estado de São Paulo entre os cursos de Agronomia e 4º Lugar no Brasil entre os cursos de Agronomia – rede pública e rede particular; Farmácia com nota 5 no CPC e em 3º Lugar no Brasil entre os cursos de Farmácia e 4º Lugar no Estado de São Paulo entre os cursos de Farmácia – rede pública e rede particular; e Medicina Veterinária com nota 4 no CPC e em 4º Lugar no Estado de São Paulo entre os cursos de Medicina Veterinária e 8º Lugar no Brasil entre os cursos de Medicina Veterinária – rede pública e rede particular.

Inserção Regional

O Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos – Unifio se localiza no sudoeste do Estado de São Paulo, na Rodovia BR 153, KM 339 + 420m, na cidade de Ourinhos, que faz divisa com o norte do Estado de Paraná. O acesso ao Campus Universitário pode ser feito pela Rodovia Castelo Branco, Rodovia Orlando Quagliato, Rodovia Raposo Tavares e Rodovia Transbrasiliana, tornando-o ponto estratégico para o encontro de estudantes e também como referência de integração, troca de informações e conhecimento entre os alunos dos Estados de São Paulo e Paraná que formam a comunidade acadêmica da Unifio.

O Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos – Unifio se localiza no sudoeste do Estado de São Paulo, na Rodovia BR 153, KM 339 + 420m, na cidade de Ourinhos, que faz divisa com o norte do Estado de Paraná. O acesso ao Campus Universitário pode ser feito pela Rodovia Castelo Branco, Rodovia Orlando Quagliato, Rodovia Raposo Tavares e Rodovia Transbrasiliana, tornando-o ponto estratégico para o encontro de estudantes e também como referência de integração, troca de informações e conhecimento entre os alunos dos Estados de São Paulo e Paraná que formam a comunidade acadêmica da Unifio.

A história da cidade confunde-se com a ocupação e desenvolvimento da economia cafeeira em São Paulo. A expansão da plantação do café no século XIX contribuiu para o surgimento dos barões do café, que através do comércio construíram riquezas, levantaram os casarões e contribuíram com a dinamização urbana das vilas e cidades. Da região do Vale do Paraíba Paulista ao Oeste de São Paulo a ocupação da terra para o plantio fomentou a derrubada das matas, dando origem a um tipo de paisagem que caracteriza cidades como Ourinhos: extensa plantação de açúcar e café.

A presença do colono italiano impulsionou a ocupação das diversas regiões de São Paulo, inclusive das margens do Rio Paranapanema. Pela fertilidade da terra e localização geográfica, pois é uma região que integra o Sul, o Sudeste e o Centro Oeste do Brasil, outros colonos passaram a adquirir terras no Vale do Paranapanema. Foi o caso de Jacinto Ferreira de Sá que, ao comprar uma vasta gleba de terra localizada no atual município de Ourinhos, doou parte do terreno para a construção de uma escola e de uma Igreja. A partir de 1906, a localidade começou a ganhar características de povoado com a chegada de outras famílias. Em 1908 foi criado o posto da Estrada de Ferro, transformado em estação em 1912. O povoado tornou-se Distrito de Paz subordinado ao município de Salto Grande de Paranapanema em 1915. No ano de 1918, Ourinhos foi elevado à categoria de município. O nome da cidade é uma homenagem ao fazendeiro e político Antônio José da Costa Júnior, proprietário da Fazenda Ourinhos.

O desenvolvimento econômico ao longo do século XX é marcado pelos setores de açúcar e álcool, óleo de soja, ovos, leite e destilados de cana e café. Três distritos industriais foram criados e dotados de infraestrutura, onde já se encontram instaladas várias indústrias de expressão nacional, como Colchões Castor, Bunge, Injex Aparelhos Cirúrgicos, Café Jaguari, Caninha Oncinha, Alliance, Cerâmica Ourimar, Toldos Parati, Mecânica Zanuto, Marvi Alimentos, Tecnal Industria Mecânica, Usina São Luiz.

O comércio é uma referência para a região do Sudoeste Paulista e Norte do Paraná, especialmente para as cidades vizinhas: São Pedro do Turvo, Santa Cruz do Rio Pardo, Salto Grande, Ribeirão do Sul, Palmital, Ibirarema, Ipaussu, Bernardino de Campos, Chavantes, Piraju, Manduri, Timburi, Cândido Mota, Jacarezinho, Santo Antonio da Platina, Joaquim Távora, Ribeirão Claro, Carlópolis, Cambará, Andirá e Bandeirantes.

Na área das artes cênicas da cidade, destacam-se diversas construções dedicadas à cultura municipal, como o Teatro Municipal Miguel Cury, o Museu Municipal Histórico e Pedagógico, o Núcleo de Arte Popular e o Ponto de Cultura ‘Para Ler o Mundo’, pertencente à Biblioteca Municipal Tristão de Athayde. Anualmente é realizada a Mostra Sérgio Nunes de Artes Cênicas, que propõe atividades em que a literatura e o teatro se complementem. Foi realizado por 12 anos, de 1991 a 2003, mas a proposta do evento foi retomada em 2009.

O artesanato é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural ourinhense. Em várias partes do município, é possível encontrar uma produção artesanal diferenciada, feita com matérias-primas regionais e criada de acordo com a cultura e o modo de vida local. Esta diversidade torna o artesanato ourinhense rico e criativo.

Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de Ourinhos, juntamente ou não com empresas locais, investe no segmento de festas e eventos. Essas festas, muitas vezes atraem pessoas de outras cidades, exigindo uma melhor infraestrutura no município e estimulando a profissionalização do setor, o que é benéfico não só aos turistas, mas também a toda população da cidade.

A Feira Agropecuária e Industrial de Ourinhos é um dos principais eventos que ocorrem no município. Realizada desde o ano de 1967 entre os meses de maio ou junho atrai visitantes da região. Atualmente sedia-se no Recinto Olavo Ferreira de Sá.

Outro importante evento é o festival de música que ocorre anualmente na cidade durante o mês de julho e já é consagrado por contar com a participação de músicos de todo o país, alavancando o nome da cidade em âmbito nacional e internacional também. O evento se dá em caráter de oficinas, que ministradas por músicos de renome, contribuem para o desenvolvimento da cultura na cidade, músicos como Toninho Horta, Nelson Ayres, entre outros, já participaram do evento como músicos convidados ou professores das respectivas oficinas.

Ourinhos também se destacou nacionalmente através do basquete feminino, tendo uma das melhores equipes do mundo. O início deu-se em 1995, com apoio da prefeitura municipal. Posteriormente, o time recebeu incentivo e patrocínio de empresas privadas locais e de outros colaboradores. De 1995 até agosto de 2009, o time sagrou-se pentacampeão nacional (2004, 2005, 2006, 2007 e 2008), hexacampeão paulista (2000, 2002, 2004, 2005, 2006 e 2007) e campeão sul-americano de clubes (2008) na modalidade, dentre outros títulos.

Missão, Valores Institucionais e Filosofia

Missão

“Investir em um processo de ensino e aprendizagem que capacite os seus egressos a atenderem às necessidades e expectativas do mercado de trabalho e da sociedade, com competência para formular, sistematizar e socializar conhecimentos em suas áreas de atuação”.

 

Para alcançar este objetivo, a Unifio promove a educação superior integrando processos de ensino de qualidade voltados a iniciação científica de pesquisa e a extensão, visando à formação de sujeitos empreendedores e comprometidos com o autoconhecimento, a transformação social, cultural, política e econômica do Estado Brasileiro e da região onde se insere.

Seu dever é orientar e desenvolver iniciativas que aumentem a qualidade do Ensino e com ela a formação de sujeitos responsáveis, comprometidos com o seu auto – desenvolvimento e com o progresso da sociedade. Para tanto, partilha dessa responsabilidade com os ingressos, os egressos e com as organizações locais. Nesse sentido, a Unifio têm se constituído local de referência na região sudoeste do Estado de São Paulo, assumindo o compromisso institucional de promover o desenvolvimento educacional da região e participar da inserção dos egressos no mercado de trabalho. A Unifio entende que, na interação dinâmica com a sociedade, em geral, e com o mercado de trabalho, em particular, define os seus campos de atuação acadêmica presentes e futuros.

Reconhecendo a crescente importância do conhecimento para a formação de sujeitos e para o processo de desenvolvimento da sociedade, a Unifio pretendem produzi-lo articulando o ensino com a pesquisa a partir da análise da realidade social, econômica, política e cultural local, buscando compreender melhor e mais profundamente a realidade que seu egresso irá contribuir para transformar. Neste sentido, a Unifio tem como diretriz uma formação que combina e equilibra o desenvolvimento técnico e humanístico e que promove a visão sistêmica do estudante.

Não obstante, o processo de formação do profissional deve abranger uma série de compromissos com a realidade social enquanto sujeito partícipe de sua construção qualitativa, ao mesmo tempo em que assumirá o exercício profissional na direção da resolução dos problemas locais e regionais. Para realizar essa missão, a Unifio também partem da necessidade de que, enquanto agência promotora de educação superior, deva ser possuidora de uma política de graduação com disciplina, rigor, sólida e articulada organicamente a um projeto de sociedade e de educação.

O uso de recursos tecnológicos na educação tornou-se algo comum entre as instituições de ensino, que de alguma forma se apropriam dessas ferramentas para promover uma aproximação educacional entre docentes e discentes.

Na perspectiva de caminhar ao encontro dessa realidade, as Faculdades Integradas de Ourinhos criam em 12 de março de 2012 o NTEA – Núcleo Tecnológico de Educação Aberta, um departamento que apoia iniciativas pedagógicas de ensino e aprendizado mediados pelas tecnologias de informação e comunicação.

Neste núcleo são discutidas situações de ensino e aprendizagem que englobam processos metodológicos inovadores focados na Educação a Distância/Educação Aberta que estimulam docentes e discentes a construírem conhecimento fazendo uso de recursos que possibilitam o encontro com o saber.

NTEA
NTEA

Dentro deste contexto voltado ao aprendizado coletivo, o NTEA – Unifio visa criar situações de aprendizagem continuada para alunos, professores e colaboradores do Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos , buscando a troca de informações entre os participantes criando um ambiente que possibilite compartilhar e gerir o conhecimento tácito que circula no Centro Universitário.

Dentro deste contexto voltado ao aprendizado coletivo, o NTEA – Unifio visa criar situações de aprendizagem continuada para alunos, professores e colaboradores do Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos , buscando a troca de informações entre os participantes criando um ambiente que possibilite compartilhar e gerir o conhecimento tácito que circula no Centro Universitário.

Em Ambientes virtuais de aprendizagem, os alunos e colaboradores da Unifio passarão por situações de aprendizagem colaborativa e construção de significados, pois serão envolvidos em situações problemas e mobilizados à reflexões que ultrapassem o senso comum, e acabem possibilitando a todos a construção de argumentação e contra-argumentação, estimulando o desenvolvimento de procedimentos essenciais para a resolução de problemas contextualizados.

Enfim, o conjunto de atitudes coordenadas pelo NTEA – Unifio promoverá uma maior integração entre os diferentes saberes num espaço para a realização da Educação Aberta, onde alunos, professores e colaboradores buscarão, juntos, soluções para problemas do cotidiano pessoal, acadêmico e profissional.

Filosofia

“Promoção de ensino de qualidade através do desenvolvimento de atividades acadêmicas que considerem os conhecimentos, as competências e habilidades e as atitudes essenciais à formação humana e profissional, pautada em princípios éticos.”

Tomando como base essa Filosofia, a Unifio elaboram seus projetos pedagógicos cimentados num conjunto de princípios que configuram sua identidade na premissa de:

“Servir como elemento de desenvolvimento e construção do saber, criando alternativas de soluções para os problemas postos pela sociedade, referenciando-se na ciência como fator de avanço e progresso da humanidade”.

Essas diretrizes norteadoras requerem estratégias educativas variadas no pensar e fazer acadêmicos da instituição que buscará gradativamente:

  • Construção coletiva — expressa na intenção e prática de cada segmento que constitui a instituição, levando em conta a articulação dialética entre diferenciação e integração, globalidade e especificidade;
  • Interação recíproca com a sociedade — caracterizada pela educação e desenvolvimento econômico-social sustentáveis, reafirmando o seu compromisso como potenciadora da formação humana e profissional;
  • Construção permanente da qualidade de ensino — entendida e incorporada como processual e cotidiana da graduação e da pós-graduação, indagando continuamente sobre:

– Que tipo de sociedade temos e queremos?

– Qual a função da Instituição diante das novas relações sociais e de produção?

– Qual o perfil do profissional a formar, frente às exigências do mercado de trabalho?

– Em que consiste a formação inicial e continuada de professores?

  • Integração entre ensino, pesquisa e extensão — buscando a construção de um processo educacional, fundado na elaboração/reelaboração de conhecimentos, objetivando a apreensão e intervenção na realidade, enquanto uma totalidade dinâmica e contraditória;
  • Desenvolvimento Curricular — contextualizado e circunstanciado, expressão da concepção de conhecimento, entendido como atividade humana e processualmente construído na produção da vida material.
  • Busca permanente da unidade teoria e prática, o que exige a incorporação de professores e alunos em atividades de pesquisa e iniciação científica;
  • Adoção de Aspectos Metodológicos — fundados nos pressupostos da metodologia dialética que concebe a sociedade e a educação como dinâmicas, contraditórias e partícipes da construção das relações infra e super – estruturais.
  • Fundamentada na sua filosofia, missão e princípios gerais, a Unifio traçam as diretrizes didático – pedagógicas para os seus cursos. Essas diretrizes solidificarão e explicitarão a intenção e prática acadêmica a serem desenvolvidas no decorrer das graduações da Instituição.

Valores Institucionais

Os valores da tradição e marca da Unifio promovem a nossa identidade comum e influenciam diretamente o comportamento dos alunos, colaboradores, parceiros, fornecedores e comunidade. Atraem talentos e, principalmente, orientam a atitude de cada um de nós no exercício do cotidiano profissional.

Desde sua gênese, a Fundação Educacional “Miguel Mofarrej”, buscando cumprir os objetivos e os propósitos de sua instituição procurou assegurar no Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos – Unifio o compromisso perene de contribuir para promover o desenvolvimento educacional da região através da oferta de Ensino Superior nas diferentes áreas do conhecimento, integrado à iniciação científica, à pesquisa e à extensão. A instituição entende que, na interação dinâmica com esta sociedade, define os seus campos de atuação acadêmica presentes e futuros.

À educação cabe preparar cada indivíduo para compreender a si mesmo e ao outro, através de um melhor conhecimento do mundo e das relações que se estabelecem entre os homens e entre estes e o meio ambiente físico e social.

Permanecemos no entendimento que à educação cabe preparar os indivíduos para compreender as transformações da sociedade como um processo complexo e inacabado onde valores e paradigmas estão sendo permanentemente questionados. Trata-se de uma sociedade “global” composta por “diferentes”, cujas características terão enorme importância para a Unifio na superação do “déficit de conhecimentos” e no enriquecimento do diálogo entre povos e entre culturas.

A instituição também parte da necessidade de que, enquanto agência promotora de ensino superior, deva ser possuidora de uma política de graduação rigorosa e sólida, teoricamente, e articulada, organicamente, a um projeto de sociedade e de educação.

A Unifio estão comprometidas com a transmissão do saber, com a pesquisa, com inovações, com o ensino e a formação, com a educação permanente e a cooperação internacional, a fim de contribuir com o desenvolvimento sustentável da região e do país.

Preocupada com a flexibilidade, a Unifio preservam, sempre que possível, o caráter pluridimensional do ensino superior, proporcionando ao acadêmico uma sólida formação geral, necessária à superação dos “desafios de renovadas condições de exercício profissional e de produção de conhecimentos (…)”. Nesse sentido, adotará a prática do estudo independente, como requisito à autonomia profissional e o fortalecimento da articulação da teoria com a prática através da pesquisa individual e coletiva e da participação em atividades de extensão.

Para garantir sua missão, a Unifio organizam a educação que se desenvolve em torno das quatro aprendizagens fundamentais, recomendadas pelo “Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI.”

“Aprender a Conhecer”

Caracterizado pela busca do domínio dos instrumentos do conhecimento com a finalidade precípua de descobrir, compreender, fazer ciência;

“Aprender a Fazer”

Entendendo-se que, embora indissociável do “aprender a conhecer”, o “aprender a fazer” refere-se diretamente à formação profissional, na medida em que se trata de orientar o acadêmico a pôr em prática os seus conhecimentos, adaptando a educação à configuração do trabalho na sociedade atual;

“Aprender a Viver Juntos”

Constituindo-se num grande desafio para a educação, tendo em vista que trata de ajudar os alunos no processo de aprendizagem para a participação, a cooperação e, sobretudo, para a busca coletiva de soluções para os problemas contemporâneos;

“Aprender a Ser”

Integrando as três aprendizagens anteriores e caracterizando-se pela elaboração de pensamentos autônomos e críticos que contribuam na formulação própria de juízos de valor, formando, assim, um cidadão e profissional decidido e preparado para agir nas diferentes circunstâncias da vida.