Entrevista com a Egressa do Curso de Medicina Veterinária, Camila Peres Rubio

falow

Camila Peres Rubio,

Médica Veterinária Pesquisadora, 33 anos, Egressa do Curso de Medicina Veterinária, turma de 2010 da Unifio

Qual a sua formação no Centro Universitário das Faculdades Integradas de Ourinhos – Unifio (anteriormente Faculdades Integradas de Ourinhos- FIO)? Você poderia nos contar um pouco de sua trajetória em nossa instituição?

Sou Médica Veterinária. Me graduei em dezembro de 2010 pelas Faculdades Integradas de Ourinhos. Para mim é um pouco difícil falar sobre trajetória sendo um momento que não só ingressamos em uma instituição universitária, mas também em um “mundo” onde passamos a conhecer o desconhecido, tanto de maneira científica quanto pessoal. Um paradoxo talvez, porque considero um período em que mais crescemos e amadurecemos, porém, uma etapa que mais gera dúvidas e medos.

 

Foto Camila Peres Rubio

Eu entrei para o curso certa do que queria (ser médica veterinária), porém com infinitas vontades de atuação: em clínica, no campo, em um zoológico… Entretanto conforme fui “experimentando” as incontáveis disciplinas, estágios, e alguns professores foram revelando-se como fontes particulares de exemplo e inspiração, percebi que o laboratório seria meu lugar de atuação. Além disso, quando entrei para o curso de Medicina Veterinária o Hospital Veterinário ainda não existia. Foi uma experiência bastante prazerosa fazer parte da fundação do mesmo. Nós alunos e professores éramos muito unidos e batalhávamos por um bem maior, sempre em prol da melhoria das instalações e, por consequência, do ensino.

Como o curso era em período integral, a instituição era nossa casa, e os colegas e professores, uma segunda família. Realmente foram momentos de muita luta, mas graças aos profissionais que nos cercavam e ao apoio imprescindível da minha família, os resultados foram inúmeras vitórias.

Você seguiu carreira dentro da sua área de graduação? Onde você trabalha? Qual sua função? Conte-nos um pouco da sua carreira profissional.

Sim, ao graduar-me iniciei o curso de mestrado na área de Patologia Clínica com foco em proteínas de fase aguda da inflamação em cães, na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da UNESP em Botucatu. Logo, em 2014, ingressei para o curso de doutorado na Universidade de Murcia, Espanha, onde me dediquei a desenvolver biomarcadores de estresse oxidativo.

Hoje trabalho como pesquisadora no Laboratório Interdisciplinar de Análises Clínicas (INTERLAB) na Universidade de Murcia, que pertence ao grupo de pesquisa liderado pelo Professor Dr. José Joaquin Cerón que se centra em buscar e analisar marcadores que ajudem a avaliar o estado de saúde e bem-estar, e também a diagnosticar e monitorar enfermidades concretas, tanto em animais quanto em humanos. Eu me dedico mais precisamente a desenvolver (ou melhorar) técnicas analíticas para determinar a concentração de antioxidantes e oxidantes no sangue, urina e Inclusive saliva das diversas espécies animais e inclusive em pacientes humanos.

O que deixaria de mensagem ou dica para os alunos que estão ingressando no curso?

Que não desistam nunca de seus sonhos, que lutem, batalhem, estudem multo, que busquem fazer a diferença por mais difícil e impossível que pareça. Que façam estágios, que busquem contatos, que experimentem cada momento intensamente até encontrar aquilo que realmente os faça brilhar. E que não deixem de viver. Os estudos são parte da vida, não a vida parte dos estudos, temos que encontrar um equilíbrio.

#Fica a Dica

Acabo de publicar dois artigos onde comentamos a importância do uso da saliva como amostra não invasiva para a determinação de biomarcadores de estresse oxidativo nas diferentes espécies animais:

“Biomarkers of oxidative stress in saliva of sheep: Analytical performance and changes after an experimentally induced stress. Res Vet Sci.”

“Biomarkers of oxidative stress in saliva in pigs: analytical validation and changes in lactation. BMV Vet Sci”

Espero que as informações disponibilizadas nesses artigos contribuam para aumentar o interesse no uso da saliva para avaliar estresse oxidativo e que dessa forma mais informação seja compartilhada no futuro sobre o comportamento/dinâmica dos diferentes biomarcadores nas diferentes doenças e seu uso clínico.

Qualquer dúvida pode contatar pelos e-mails:

camila.peres@um.es ou camilaprubio@gmail.com

Twitter: @rubio_camilap

Citação: Rubio CP